Adaptação atenua impacto de crises

O distanciamento social para conter o avanço da pandemia da Covid-19 tem provocado efeitos severos no desempenho da economia e, particularmente, na capacidade de pagamento de pessoas físicas e jurídicas. No setor empresarial, dados da Boa Vista Serviços dão conta de que, no período de 12 meses encerrado em 31 de julho, os pedidos de recuperação judicial aumentaram 31,4% e as recuperações deferidas subiram 30,1%. Um quadro totalmente diverso do observado de janeiro a dezembro de 2019, quando os pedidos de recuperação tiveram queda de 1,5%, de acordo com
registros da Serasa Experian.

Essa reviravolta no mercado levou à aceleração dos debates em torno da reforma da Lei de Recuperação Judicial e Falências, que foi aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 26 de agosto e encaminhada à deliberação do Senado, para daí seguir à sanção presidencial.

Por isso, considerar e analisar cenários possíveis tem feito parte de nosso método de planejamento, por meio do monitoramento de tendências relacionadas a matérias em discussão no Legislativo, alterações na economia e transformações tecnológicas que possam afetar a condução de
negociações ou litígios.

Essa postura preventiva, que requer uma visão neutra e objetiva da realidade, isenta de preferências ou temores, tem permitido ao Reis Advogados desenvolver com antecedência a estratégia mais apropriada a cada possível circunstância e, assim, reagir com maior presteza e precisão. Desse modo, temos obtido êxito na defesa dos interesses de nossos clientes, com os quais temos compartilhado e discutido as conclusões de nossas análises. Esse processo de entendimento e colaboração tem proporcionado benefícios mútuos e, com a experiência vivida em crises como a presente, nosso propósito é aperfeiçoá-lo cada vez mais.

Leia também: